Últimas notícias de economia, política, carros, emprego, educação, ciência, saúde, cultura do Brasil e do mundo. Vídeos dos telejornais da TV Globo e da GloboNews.
Espetáculo de abertura do Festival Amazonas Jazz é baseado em ritual indígena

Evento acontece dia 21 de março, às 20h, no Teatro Amazonas. Espetáculo de abertura do Festival Amazonas Jazz é baseado em ritual indígena Divulgação Um tributo musical aos rituais e mitologias encontrados nas culturas de todo o mundo é a proposta da obra “Ritos de Passagem”, que abrirá a 10ª edição do Festival Amazonas Jazz, no dia 21 de março, às 20h, no Teatro Amazonas. Composição do instrumentista norte-americano Ed Sarath, “Rites of Passage (Ritos de Passagem)” foi apresentado no Brasil pela primeira vez em 2008, também no Amazonas Jazz. A obra retorna para homenagear os 10 anos do evento, com Sarath tocando flugelhorn (instrumento de sopro) ao lado do saxofonista paulista Marcelo Coelho e da Amazonas Band, sob regência do maestro e diretor artístico do festival, Rui Carvalho. Inspirado na jornada de evolução do ser humano, o espetáculo promete surpreender o público ao combinar o ritmo jazzístico com a mística da etnia Tikuna, através de uma performance especial do Corpo de Dança do Amazonas (CDA). Dirigido pelo bailarino e coreógrafo Mário Nascimento, o CDA apresentará uma coreografia original de Rui Moreira, considerado um dos nomes mais representativos da dança contemporânea no Brasil. O artista é natural de São Paulo e possui uma trajetória de mais de 30 anos no setor cultural, com passagens pelo Grupo Corpo (MG) e companhias Cisne Negro (SP), Balé da Cidade de São Paulo (SP), Seráquê? (MG) e Azanie (França). Segundo Rui Moreira, por meio dos passos dos bailarinos será contado o ritual da “Moça Nova”, que representa a passagem das mulheres indígenas para a vida adulta. “De forma festiva, este ritual é marcado por muita música e dança, celebrando a partida de uma etapa da vida e a chegada de um novo momento, o presente – que anuncia também o futuro”, explica. Para o coreógrafo, um dos pontos altos de reapresentar o espetáculo é a oportunidade de trabalhar novamente com a cultura Tikuna, com qual teve contato pela primeira vez em 2008. “O compositor Ed Sarath concebeu em forma de música e de maneira inspirada sua empatia com um símbolo amazônico. Partindo desta obra, a mim foi delegada a prazerosa missão de conduzir incríveis artistas da dança na criação de um espetáculo cênico, que me permitiu a conexão com a ritualística Tikuna. A sensação de retomar o espetáculo, trabalhar novamente com este tema e com o Corpo de Dança do Amazonas, é a melhor possível”, afirma Nascimento. A interação entre a composição musical de Ed Sarath e a dança de inspiração indígena é um dos grandes destaques desta edição do Festival Amazonas Jazz, cuja programação ocorrerá até o dia 29 de março. Ao todo, o palco do Teatro Amazonas receberá 16 espetáculos, dois por noite, com artistas nacionais e internacionais. Os ingressos já podem ser adquiridos na bilheteria do teatro e no online por valores que variam de R$ 20 a R$ 80.
Sun, 16 Feb 2020 18:01:29 -0000
Carnaval 2020 em BH: Me Beija Que Eu Sou Pagodeiro desfila pela sétima vez

Neste ano, o grupo homenageia a cantora Beth Carvalho que, segundo ele, é uma das maiores pagodeiras do país. Carnaval 2020: Me Beija Que Eu Sou Pagodeiro desfila pelo sétimo ano em BH Bloco das Notáveis no Me Beija Que Eu Sou Pagodeiro em BH Pedro Chimicatti/G1 O bloco Me Beija Que Eu Sou Pagodeiro desfila na tarde deste sábado (16) em Belo Horizonte. Neste ano, o grupo homenageia a cantora Beth Carvalho que, segundo ele, é uma das maiores pagodeiras do país, frequentadora dos pagodes cariocas, principalmente o Cacique de Ramos. Este é o sétimo ano do Me Beija na avenida. Além dos sucessos de Beth Carvalho, o grupo toca clássicos dos anos 90, consagrados com bandas como Raça Negra, Molejo, Katinguelê, Só Pra Contrariar e Art Popular. Para o Me Beija, Beth Carvalho é a voz dos "sambas animados"’, ritmo que podemos chamar de raiz do pagode como conhecemos. Foi Beth quem levou o pagode das rodas de fundo de quintal para a mídia e apresentou ao mundo nomes como Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz, Xande de Pilares, Jorge Aragão, Almir Guineto, o grupo Fundo de Quintal, entre outros, ganhando assim o título de madrinha do pagode.
Sun, 16 Feb 2020 18:01:20 -0000
Projeto de alunos constrói 'tijolos de jeans' em São João Nepomuceno

Grupo 'Delta' faz parte do Centro Integrado Sesi-Senai do município. Saiba mais sobre o material. Tijolo de jeans foi desenvolvido por equipe de São João Nepomuceno Márcio Sabones/Reprodução Um projeto, desenvolvido por oito estudantes, do Serviço Social da Indústria (Sesi) e Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), constrói "tijolos de jeans". O objetivo da ação é ajudar o Meio Ambiente e diminuir o custo do material. De acordo com o técnico de robótica do grupo, Vagner de Paula, o município tem grande quantidade de empresas têxtil e, portanto, os proprietários têm a responsabilidade de dar o descarte correto para o jeans. "Para dar a destinação correta, a empresa gasta cerca de R$ 3 mil. O ideal seria pegar esse tecido, moer, e jogar dentro do tijolo. O que resulta em um material ecológico e mais barato", contou. O projeto Equipe Delta do Centro Integrado Sesi-Senai de São João Nepomuceno Márcio Sabones/Reprodução Segundo Vagner de Paula, o tecido é moído e colocado na massa, que demora cerca de 25 dias para secar "Moemos, colocamos a massa. O tijolo fica 10% mais leve. Além de ser acústico por causa da fibra e isolante térmico". Conforme o grupo, foram feitos testes em uma prensa para saber se a resistência do produto atende às normas técnicas exigidas no mercado. "No mínimo, o produto tem que aguentar cinco toneladas, o nosso deu sete toneladas e meia, com uma semana de secagem", explicou o técnico. Neste sábado (15) e domingo (16), o grupo participa do Torneio Regional de Robótica em Contagem (MG) para apresentar o projeto e competir com outras equipes de Minas Gerais. Tijolos são feitos com jeans em São João Nepomuceno Márcio Sabones/Reprodução
Sun, 16 Feb 2020 18:00:16 -0000
75% dos órgãos federais descumprem regras ou não preenchem relatórios sobre publicação de agendas, revela CGU

Em 2019, ministro da CGU afirmou que decreto presidencial criaria sistema para unificar agendas, mas não houve qualquer mudança desde então. Especialistas dizem que é necessário aumentar a transparência para dar condições iguais para grupos de interesses e também para permitir o controle pela população. Um levantamento da Controladoria-Geral da União (CGU), com base nos dados do Sistema de Transparência Ativa (STA), identificou que 75% dos órgãos (228) não publicam os dados obrigatórios ou não preenchem os relatórios para monitoramento das agendas públicas. Já 18% dos órgãos (54) cumprem parcialmente as obrigações, enquanto apenas 8% cumprem as regras (23). Os dados da CGU, responsável por fiscalizar a publicação das agendas de autoridades, foram obtidos via Lei de Acesso à Informação pelo G1. “A CGU compara a informação prestada no STA com o que está efetivamente publicado na página do órgão e, se necessário, registra as recomendações para o adequado cumprimento da obrigação. Cabe ressaltar que é obrigação dos órgãos e entidades manter as informações constantes do STA atualizadas, bem como atender às recomendações e orientações da CGU”, afirma o ministro Wagner Rosário (CGU). Especialistas ouvidos pelo G1 apontam que os agentes públicos precisam divulgar as agendas para dar mais transparência sobre a atuação de grupos de pressão e também para facilitar o acompanhamento dos trabalhos pela sociedade. Divulgação de agendas públicas: dados de relatórios da CGU sobre o cumprimento de órgãos federais em relação à publicação de agendas de autoridades G1 Dados Em agosto de 2019, o ministro da CGU, Wagner Rosário, defendeu que a transparência é o melhor tratamento que se pode dar ao lobby. Antes, em maio de 2019, Rosário já havia dito que editaria, em até 30 dias, um decreto para a criação de uma plataforma com todas as informações sobre a agenda de autoridades do governo. O decreto, porém, ainda não foi publicado. A CGU informa que “há tratativas, no Poder Executivo federal, para a criação de um sistema único para o registro e a transparência ativa dos compromissos públicos”, mas que “a implantação do referido sistema depende de regulamentação por decreto presidencial, nos termos do qual serão definidas suas características”. “O decreto para a regulamentação da publicação das agendas está sendo elaborado com a colaboração de diversos órgãos e sua publicação depende ainda da aprovação do presidente da República, após a fase de discussões com os demais integrantes da administração pública federal. Consequentemente, não há uma previsão para sua promulgação e o posterior lançamento do sistema de agendas", diz a CGU. Em nota, a Secretaria-Geral da Presidência da República afirma, porém, que “não há ato formal na SG-PR acerca do referido assunto”. As autoridades que publicam as agendas não costumam publicar o assunto abordado ou o motivo para a reunião. Normalmente, os dados publicados pelo agente público são apenas: nome do convidado, profissão do convidado, data e hora da reunião e local da reunião. Pedidos de LAI Em 6 de janeiro de 2020, o G1 fez um pedido de Lei de Acesso à Informação aos principais órgãos do Poder Executivo federal. O requerimento pedia o envio de um arquivo estruturado, aberto e editável com os dados das agendas de autoridades de cada órgão referentes a 2019. Os pedidos foram direcionados para todos os 22 órgãos que têm autoridades com status de ministro e também para a Presidência da República e a Vice-Presidência da República O levantamento identificou que 10 dos 24 principais órgãos do Poder Executivo federal não permitem o download das agendas de autoridades nem enviam esses dados por meio da Lei de Acesso à Informação. Nesses casos, só é possível acessar tais informações de forma manual ao pesquisar por cada dia no calendário do site de cada órgão. Isso dificulta, por exemplo, a análise e o cruzamento das informações. A análise do G1 nos dados das agendas enviados também constatou que parte dos agentes públicos costuma apenas informar “despachos internos” na agenda oficial. Essas autoridades, portanto, nem sequer informam com quem se reúnem. Lobby e transparência pública Para o advogado e mestre em Direito Bruno Morassutti, conselheiro do “Fiquem Sabendo” e da “Open Knowledge”, seria positivo que as informações das agendas de autoridades estivessem em uma única plataforma, conforme já anunciou o ministro da CGU. “Se você tiver que consultar todos os ministérios para descobrir o que está acontecendo, isso já é um problema, já te dá um trabalho maior. Essas informações são registradas cada vez de uma forma, o que torna mais difícil o cruzamento de informações. Às vezes você fica sem ter um quadro completo do que está acontecendo. Essa mudança seria importante para padronizar esses dados e facilitar o acesso em um local só, como já funciona no Portal da Transparência. Com o Portal da Transparência, por exemplo, você já consegue efetivamente acompanhar os gastos de todos os órgãos federais”, diz Morassutti. Ele afirma ainda que a legislação não é clara sobre quais informações das agendas precisam ser publicadas. Para ele, os órgãos deveriam publicar nas suas agendas pelo menos o nome da pessoa, o assunto a ser abordado, o nome de todos os acompanhantes e o interesse da pessoa no assunto abordado, entre outros. Essas informações já são obrigatórias para marcar uma reunião com agentes públicos, conforme determina o decreto 4.334 de 2002. Apesar disso, como a legislação não é clara, as autoridades costumam publicar apenas o nome e a profissão da pessoa, a data, a hora e o local da agenda. “Esses dados já deveriam estar disponíveis em transparência ativa. A OCDE [Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico] recomenda que as altas autoridades sejam estimuladas a divulgar essas agendas por uma questão de liberdade concorrencial, por questão de acesso a informação de forma geral. A gente já deveria estar fazendo isso. Infelizmente, ainda não conseguimos fazer com muito sucesso. Para a gente ter um ambiente em que a concorrência age de uma forma mais leal e que você consegue efetivamente participar das políticas públicas conforme elas são elaboradas, e não só ficar sabendo quando elas saem, isso é importante que tenha essa divulgação de forma prévia.” Já o professor do curso de relações governamentais do Insper Milton Seligman, um dos organizadores do livro “Lobby desvendado: democracia, políticas públicas e corrupção no Brasil contemporâneo”, lembra que tanto as empresas quanto as ONGs se reúnem com autoridades porque querem defender os seus interesses e tentar influenciar na formulação e na execução das políticas públicas. Seligman acrescenta ainda que a transparência é necessária para saber com quem as autoridades estão se reunindo e também para a sociedade civil entender o papel dos grupos de pressão. “As empresas e as ONGs procuram influenciar esse desenho e depois a execução das políticas públicas, tentando modificar o cenário, as normas etc para que possa ser mais favorável aos interesses que elas executam e representam. Como isso é uma área em que você tem interesses privados influenciando atividades de interesse público muito legitimadas pelo voto, é muito importante que a sociedade possa acompanhar porque a sociedade é diretamente interessada no resultado”, diz o professor do Insper. Para ele, também é preciso retomar as discussões sobre a regulamentação do lobby, que ganhou uma impressão negativa no Brasil, principalmente após os escândalos da Operação Lava Jato. “As experiências americanas, europeias, mesmo latino americanas, precisam ser estudadas. A gente pode aprender e, com isso, ganhar tempo usando essas experiências. Os EUA têm o lobby regulamentado desde a Constituição, desde 1787, e têm uma experiência vasta de coisas que deram certo e não deram certo.” No Brasil, o projeto de lei 1.202 de 2007, que propõe regulamentar o lobby, foi discutido na Câmara dos Deputados em 2018, quando foi relatado pela então deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ). Não houve, porém, votação no plenário na Casa e a proposição não foi discutida durante o governo Bolsonaro. “Então, como eles [empresas e ONGs] vão interferir mesmo, vamos regulamentar de modo que isso possa acontecer buscando o melhor para a sociedade, com transparência, entendendo o porquê do debate, e certamente ouvindo as empresas. As empresas muitas vezes trazem novidades tecnológicas que as autoridades nem sabem”, afirma Seligman. Morassutti lembra ainda que a divulgação das agendas é importante também para o acompanhamento pela sociedade civil. Ele destaca, por exemplo, que só foi possível identificar que quatro ex-assessores investigados por “rachadinhas", esquema em que parte do salário de assessores é devolvida aos parlamentares, estiveram no gabinete do vereador Carlos Bolsonaro porque os registros da visita ao gabinete foram fornecidos pela Câmara Municipal do Rio de Janeiro. Para ele, porém, seria ainda melhor se tais dados já estivessem disponíveis na internet, sem a necessidade de pedir pela Lei de Acesso à Informação. Veja as respostas de cada órgão no levantamento do G1 Presidência da República: passou também a disponibilizar os dados completos, em formato aberto, na seção de dados abertos da Presidência, após o pedido de LAI. Também informou que uma “ferramenta automatizada está em fase de desenvolvimento e teste pelo Serpro e estará disponível para os portais .gov.br, o que permitirá o acesso às agendas oficiais em formato aberto diretamente nos portais”. Casa Civil da Presidência da República: não forneceu os dados referentes a 2019 e disse que a previsão de abertura da base de dados foi incluída no Plano de Dados Abertos. Secretaria de Governo da Presidência da República: não forneceu os dados referentes a 2019. Secretaria-Geral da Presidência da República: não forneceu os dados referentes a 2019. Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República: não forneceu os dados referentes a 2019. Vice-Presidência da República: não forneceu os dados referentes a 2019. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento: não forneceu os dados referentes a 2019. O ministério afirmou, porém, que identificou que os servidores não estavam preenchendo as agendas da forma correta e que vai oferecer um curso de capacitação sobre o cadastro de compromissos de autoridades. A pasta disse ainda que pretende criar a funcionalidade de download da agenda. Ministério da Cidadania: não forneceu os dados referentes a 2019. O ministério disse, porém, que está “em processo de aprimoramento da integração do portal da cidadania e isso inclui uma melhoria da padronização e disponibilização das agendas das autoridades do órgão, com a possibilidade de download das agendas em formato aberto”. Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações: forneceu os dados referentes a 2019 como resposta ao pedido de LAI. Ministério da Defesa: não forneceu os dados referentes a 2019. O ministério afirmou que “não foi adotada por este ministério a publicação das agendas nos moldes requeridos (em formato estruturado, aberto e editável), uma vez que inexiste regulamentação da lei 12.813, de 16 de maio de 2013, que detalhe e/ou especifique formatos a serem cumpridos”. Ministério do Desenvolvimento Regional: forneceu os dados referentes a 2019 como resposta ao pedido de LAI. O arquivo, porém, não informa o nome da autoridade, mas apenas o cargo. O ministério disse que, “visando aprimorar a prestação de serviços deste ministério, está realizando ajustes no sítio do portal MDR de forma a possibilitar o download de informações diretamente pelo interessado”. Ministério da Economia: não forneceu os dados referentes a 2019. O ministério disse que a abertura da base de dados será incluída no Plano de Dados Abertos e que analisa o “desenvolvimento de ferramenta para o atendimento à sociedade de forma ampla no sentido de atender solicitações semelhantes à atual”. Ministério da Educação: já permite o download dos dados completos, em formato aberto, no site do ministério. Ministério da Infraestrutura: já permite o download dos dados completos, em formato aberto, no site do ministério. Ministério da Justiça e Segurança Pública: já permite o download dos dados completos, em formato aberto, no site do ministério. O arquivo, porém, não informa o nome da autoridade, apenas o cargo. Ministério do Meio Ambiente: já permite o download dos dados completos, em formato aberto, no site do ministério. Ministério de Minas e Energia: já permite o download dos dados completos, em formato aberto, no site do ministério. Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos: não forneceu os dados referentes a 2019. O ministério disse, porém, que abriu “procedimento junto à Coordenação-Geral de Tecnologia da Informação do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos para viabilizar a implementação de tal ferramenta de pesquisa em nosso sítio eletrônico nas áreas referentes à divulgação de agendas públicas de autoridades.” Ministério das Relações Exteriores: forneceu os dados referentes a 2019 como resposta ao pedido de LAI. Ministério da Saúde: já permite o download dos dados completos, em formato aberto, no site do ministério. Ministério do Turismo: forneceu os dados referentes a 2019 como resposta ao pedido de LAI. O ministério afirmou ainda que fará uma revisão de formato e do processo de registro das informações das agendas de compromissos públicos das autoridades, que resultará na publicação do “Manual para publicação de Agenda de Autoridades - MTur”, com o posterior treinamento aos gestores e servidores/colaboradores sobre o assunto. Além disso, o ministério disse que solicitou a “criação de funcionalidade que permita aos cidadãos/usuários realizar consultas de informações e download, em formato aberto, do histórico das agendas de autoridades públicas, com opções de escolha por período e por autoridades”. Controladoria-Geral da União: já permite o download dos dados completos, em formato aberto, no site do ministério. Advocacia-Geral da União: forneceu os dados de janeiro a novembro de 2019 como resposta ao pedido de LAI. Banco Central: passou a disponibilizar um link em que é possível baixar um arquivo JSON com os dados das agendas de autoridades. O Banco Central disse ainda que "priorizará esta base no processo de abertura de suas bases de dados, visando à disponibilização dos dados no Portal de Dados Abertos do BC". Transparência pública A divulgação das reuniões de autoridades deve ser diária e consta da lei 12.813 de 2013 (Lei de Conflito de Interesses), que determina que "os agentes públicos mencionados nos incisos I a IV do art. 2º deverão, ainda, divulgar, diariamente, por meio da rede mundial de computadores - internet, sua agenda de compromissos públicos". As autoridades referidas são ocupantes dos seguintes cargos e empregos: "1) ministro de Estado; 2) de natureza especial ou equivalentes; 3) de presidente, vice-presidente e diretor, ou equivalentes, de autarquias, fundações públicas, empresas públicas ou sociedades de economia mista; e 4) e do Grupo-Direção e Assessoramento Superiores - DAS, níveis 6 e 5 ou equivalentes." A lei 12.527 de 2011 (Lei de Acesso à Informação) afirma que os sites devem cumprir requisitos como "conter ferramenta de pesquisa de conteúdo que permita o acesso à informação de forma objetiva, transparente, clara e em linguagem de fácil compreensão; possibilitar a gravação de relatórios em diversos formatos eletrônicos, inclusive abertos e não proprietários, tais como planilhas e texto, de modo a facilitar a análise das informações; possibilitar o acesso automatizado por sistemas externos em formatos abertos, estruturados e legíveis por máquina", entre outros. O decreto 4.334 de 2002 já afirmava que, para marcar uma reunião com autoridade, é necessário informar: 1) a identificação; 2) a data e a hora em que pretende ser ouvido; 3) o assunto a ser abordado; 4) a identificação de acompanhantes, se houver, e seu interesse no assunto. Esse decreto substitui o decreto 4.232 de 2002, que também abordava as agendas de autoridades. O Guia de Transparência Ativa da Controladoria-Geral da União (CGU) já determina que esses dados possam ser baixados em cada site. “A agenda deve ser atualizada diariamente, permanecer registrada para consultas posteriores e possuir mecanismo que possibilite o download, em formato aberto, do histórico.”
Sun, 16 Feb 2020 17:58:39 -0000
Carnaval de Vitória: escolas do grupo especial encerram festa no Sambão do Povo

A expectativa, agora, é para saber quem será a grande campeã do Carnaval de Vitória 2020. A apuração acontece nesta quarta (19), a partir das 15h. As sete escolas do grupo especial do Carnaval de Vitória deram um show na avenida e encerram os desfiles no Sambão do Povo, neste domingo (16). Elas disputam o título de grande campeã do carnaval capixaba. A apuração acontece na próxima quarta-feira (19), a partir das 15h. A contagem dos pontos acontece também no Sambão do Povo. Ao todo, 27 juradores vão dar notas para quesitos como bateria, harmonia, samba-enredo, fantasias, entre outros. Os desfiles foram transmitidos pelo G1 e pela TV Gazeta. A primeira escola a desfilar foi a Unidos da Piedade. Já a São Torquato encerrou a passagem das agremiações peço Sambão do Povo. Unidos da Piedade A Piedade levou para a avenida uma homenagem a grandes personalidades do Brasil e do mundo com o nome de "Francisco". Chico Mendes, Chico Xavier e o Papa Francisco foram homenageados. A "mais querida", como é conhecida, contou com 1.800 integrantes, 17 alas e três alegorias. Carnaval de Vitória 2020: Unidos da Piedade Reprodução/ TV Gazeta Carnaval de Vitória 2020: Unidos da Piedade Reprodução/ TV Gazeta Carnaval de Vitória 2020: Unidos da Piedade Reprodução/ TV Gazeta Carnaval de Vitória 2020: Unidos da Piedade Reprodução/ TV Gazeta Jucutuquara A escolas que carrega as cores vermelho, verde e branco levou cerca de 1.600 pessoas para a avenida em 20 alas e quatro alegorias. O enredo falou sobre os "griots", que são os indivíduos responsáveis pela transmissão de conhecimento, saberes, costumes, histórias e lendas, na África, por meio da oralidade. Carnaval de Vitória 2020: Jucutuquara Reprodução/ TV Gazeta Carnaval de Vitória 2020: Jucutuquara Reprodução/ TV Gazeta Carnaval de Vitória 2020: Jucutuquara Reprodução/ TV Gazeta Carnaval de Vitória 2020: Jucutuquara Reprodução/ TV Gazeta Mocidade Unida da Glória A Mocidade Unida da Glória (MUG) foi a terceira escola a desfilar e levou o enredo "Oby- O imaculado santuário das lendas". A escola levou para a avenida lendas que encantam o imaginário e recriou um Espírito Santo místico e índio. A MUG, que defende as cores vermelho e branco, contou com 1.600 integrantes, quatro alegorias e dois tripés. Carnaval de Vitória 2020: Mocidade Unida da Glória Reprodução/ TV Gazeta Carnaval de Vitória 2020: Mocidade Unida da Glória Reprodução/ TV Gazeta Carnaval de Vitória 2020: Mocidade Unida da Glória Reprodução/ TV Gazeta Carnaval de Vitória 2020: Mocidade Unida da Glória Reprodução/ TV Gazeta Carnaval de Vitória 2020: Mocidade Unida da Glória Reprodução/ TV Gazeta Boa Vista A Independente de Boa Vista celebrou a música capixaba. Ao todo, levou para a avenida 18 alas, quatro alegorias, um tripé e 2 mil componentes. O presidente da escola, Emerson Xumbrega, disse que o enredo saiu da cabeça dele. Quis homenagear a música capixaba com seus diferentes ritmos e artistas. Carnaval de Vitória 2020: Independente de Boa Vista Reprodução/ TV Gazeta Carnaval de Vitória 2020: Independente de Boa Vista Reprodução/ TV Gazeta Carnaval de Vitória 2020: Independente de Boa Vista Reprodução/ TV Gazeta Carnaval de Vitória 2020: Independente de Boa Vista Reprodução/ TV Gazeta Carnaval de Vitória 2020: Independente de Boa Vista Reprodução/ TV Gazeta Novo Império A quinta escola a desfilar pelo Sambão do Povo fez uma crítica social na avenida. O enredo da Novo Império, "O Bê-a-bá dos guris", falou sobre os direitos da infância a partir do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que completa 30 anos em 2020. Foram para a avenida 21 alas, quatro carros alegóricos, um tripé e 1.400 componentes. Carnaval de Vitória 2020: Novo Império Reprodução/ TV Gazeta Carnaval de Vitória 2020: Novo Império Reprodução/ TV Gazeta Carnaval de Vitória 2020: Novo Império Reprodução/ TV Gazeta Carnaval de Vitória 2020: Novo Império Reprodução/ TV Gazeta Carnaval de Vitória 2020: Novo Império Reprodução/ TV Gazeta Imperatriz do Forte A escola que defende as cores verde e rosa levou para a avenida a rota imperial São Pedro D’alcântara, um percurso inaugurado em 1816 para ligar a capital Vitória à Ouro Preto, em Minas Gerais. O enredo falou sobre as belezas e histórias da rota criada por ordem do príncipe Dom João VI. Foram para o Sambão do Povo 1.300 componentes, 21 alas, três alegorias e dois tripés. Carnaval de Vitória 2020: Imperatriz do Forte Reprodução/ TV Gazeta Carnaval de Vitória 2020: Imperatriz do Forte Reprodução/ TV Gazeta Carnaval de Vitória 2020: Imperatriz do Forte Reprodução/ TV Gazeta Carnaval de Vitória 2020: Imperatriz do Forte Reprodução/ TV Gazeta Carnaval de Vitória 2020: Imperatriz do Forte Reprodução/ TV Gazeta São Torquato A São Torquato foi a última escola a desfilar em 2020. Já era dia quando os 1.500 componentes, as 20 alas, as três alegorias e um tripé atravessaram o Sambão do Povo. O enredo escolhido pela escola foi "O Portal das Ilusões", que levou seres mágicos, contos de fadas e reinos encantados para a avenida. Carnaval de Vitória 2020: São Torquato Reprodução/ TV Gazeta Carnaval de Vitória 2020: São Torquato Reprodução/ TV Gazeta Carnaval de Vitória 2020: São Torquato Reprodução/ TV Gazeta Carnaval de Vitória 2020: São Torquato Reprodução/ TV Gazeta Carnaval de Vitória 2020: São Torquato Reprodução/ TV Gazeta Carnaval de Vitória 2020: São Torquato Reprodução/ TV Gazeta
Sun, 16 Feb 2020 17:58:31 -0000
Alunos da Escola Técnica de Artes da Ufal apresentam espetáculo de dança inspirado na praça Sinimbu

Evento é gratuito. Senhas são limitadas e serão distribuídas uma hora antes do espetáculo. Espetáculo Ponto de Vista, da Escola Técnica de Artes da Ufal Divulgação/Keka Rabelo Produção e Comunicação Alunos da Escola Técnica de Artes (ETA) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) apresentam o espetáculo de dança "Ponto de Vista" de 17 a 20 de fevereiro, no prédio da ETA, em frente a Praça Sinimbu, no centro de Maceió. A classificação etária é de 18 anos. A senhas são limitadas e distribuídas uma hora antes do espetáculo. O espetáculo "Ponto de Vista" é inspirado na Praça Sinimbu, um espaço público presente na vida dos alunos da ETA. A criação do "Ponto de Vista" é dos alunos do 4° módulo do curso técnico em dança. Com direção de Valéria Nunes, Reginaldo Oliveira e Thiago Sampaio, Luz de Moab Oliveira, Sonoplastia de Brother Sandes e figurino de Andréa Almeida. Elenco: Amanda Gonçalves, Bella Bailaora, Denis Peixinho, Diquinho Moraes, Iracelly oliveira, Isaac Silva, Jairon Santos, Kemelly Clara, Liliane Castro , Lua Swenny, Malu Santos , Neide Mel, Rone Pereira, Rosa Carlos . Serviço: O que: Espetáculo "Ponto de Vista” Quando: 17, 18, 19 e 20 de fevereiro Onde: Escola Ténica de Artes (praça Sinimbú, 206, Centro - Maceió) Entrada: gratuita Novas turmas para Dança e outros cursos Estão abertas até 20 de fevereiro as inscrições para novas turmas dos cursos de dança, canto erudito, produção de moda, piano, violino e viola. As inscrições são feitas gratuitamente pelo site da Copeve e pelo perfil oficial da ETA no instagram, @eta.ufal. A inscrição online será validada após a homologação presencial na secretaria da ETA. Espetáculo Ponto de Vista, da Escola Técnica de Artes da Ufal Divulgação/ETA/Ufal Veja mais notícias da região no G1 Alagoas
Sun, 16 Feb 2020 17:56:36 -0000
Regulamento do festival Louva Formiga é publicado pela Prefeitura

As apresentações estão marcadas para ocorrer no dia 27 de março, na Praça do Terminal Rodoviário. Inscrições terão início no dia 26 de fevereiro. Troféu Louva Formiga do ano passado Prefeitura de Formiga/Divulgação O regulamento do festival Louva Formiga foi publicado pela Prefeitura por meio da Secretaria de Cultura. As apresentações estão marcadas para ocorrer no dia 27 de março, na Praça do Terminal Rodoviário. As inscrições terão início no dia 26 de fevereiro. O regulamento está publicado no site da Prefeitura. As inscrições para a terceira edição do festival vão até o dia 6 de março e deverão ser feitas pela internet, pelo e-mail: festivallouvaformiga@gmail.com. O formulário está anexado ao regulamento. A triagem das músicas inscritas será realizada pela comissão organizadora. Serão selecionadas dez canções e o resultado será divulgado no dia 16 de março. Premiação As três músicas que tiverem as maiores notas no Festival serão premiadas. Será concedido também o prêmio de "Melhor Intérprete" para aquele que conquistar a maior pontuação no quesito. O primeiro colocado leva R$ 2.500, o segundo R$ 1.500 e o terceiro e quarto R$ 1.000. Os quatro primeiros também ganharão troféu.
Sun, 16 Feb 2020 17:56:20 -0000
Durval Lelys volta a fazer show em trio após 15 anos com homenagem a Gabriel Diniz, em João Pessoa

Baiano puxou o Bloco dos Atletas Cocobambu, na noite do sábado. Durval comentou que o show foi especial. Durval Lelys no Bloco dos Atletas Cocobambu do Folia de Rua 2020 em João Pessoa Paulo Bandeira/Divulgação “Muito especial. Incrível voltar aqui depois desse tempo e poder viver uma noite dessa junto dessa galera”, foi assim que o cantor e compositor baiano Durval Lelys agradeceu aos milhares de foliões que ocuparam a Avenida Epitácio Pessoa, em João Pessoa, durante o Bloco dos Atletas Cocobambu, na noite do sábado (15). A apresentação, que fez parte da programação do Folia de Rua 2020, foi a primeira do cantor em cima de um trio na capital paraibana em 15 anos. Entre os destaques da noite, houve a homenagem à Gabriel Diniz, morto em um acidente de avião em 2019. GD foi a atração principal do Bloco dos Atletas no ano passado e Durval cantou o maior sucesso de Gabriel Diniz, o hit do carnaval 2019 “Jenifer”. “Que ele agora receba de todos nós uma homenagem sincera, digna de um dos maiores artistas que o Brasil já conheceu. Gabriel, meu lindo, é pra você”, falou. O percurso, de pouco mais de dois quilômetros, desceu a Epitácio Pessoa até o Busto de Tamandaré, arrastando uma multidão de pessoas dentro do bloco e também na pipoca, por fora das cordas, por quase cinco horas. O show também foi especial em comemoração aos 25 anos do Bloco dos Atletas. Bloco dos Atletas Cocobambu passou pela Av. Epitácio Pessoa, com show de Durval Lelys no Folia de Rua 2020 em João Pessoa Paulo Bandeira/Divulgação Referência no Carnaval e em micaretas, Durval esteve à frente da banda de axé Asa de Águia desde o ano da fundação, em 1987, até 2014, quando o grupo anunciou uma pausa. Em carreira solo desde então, o artista segue cantando os sucessos que marcaram esta trajetória, além de apresentar canções da fase atual. O repertório da noite contou com clássicos do Asa de Águia, como “Não Tem Lua”, “Coco Bambu”, “Com Amor”, “Tô à Toa”, e “Prá Lá de Bragadá”, além de canções do repertório solo como "Juntos e Conectados". Também teve espaço para um cover inusitado do Pink Floyd, hits de outros artistas baianos, como Ivete Sangalo, Saulo Fernandes e Timbalada; e do forró. Em vários momentos da festa, Durval se emocionou com o carinho dos foliões. “Isso tá me contagiando. Foi muito tempo sem vir aqui num trio. E é muito bacana a história que construímos aqui”, contou. Bloco dos Atletas Cocobambu, com Durval Lelys, no Folia de Rua 2020 de João Pessoa Paulo Bandeira/Divulgação A programação do Folia de Rua segue neste domingo com um dos principais blocos do pré-carnaval de João Pessoa, as Virgens de Tambaú. O bloco conta com shows de Elba Ramalho, Luka Bass, Myra Maia, Renata Arruda, Dodô Pressão, entre outros. A concentração é no antigo Posto 99, na Epitácio Pessoa, a partir das 17h. O desfile desce até o Busto, onde há um palco armado para a programação da dispersão. Além das Virgens de Tambaú também acontecem neste domingo os blocos Viúvas da Torre e Imprensados. Programação do Folia de Rua deste domingo (16) Bloco Virgens de Tambaú Concentração: Via Folia, Av. Epitácio Pessoa, 17h Trios: Elba Ramalho, JM Puxado, Luka Bass, Jairo Madruga, Liss Albuquerque, Gracinha Telles, Renata Arruda, Myra Maia, Felipe Morais, DJ Furni, DJ Vinny, Banda Abala, Dodô Pressão Palco Praia: Nathaly Simões, Litoral 83, Swing da Pegada, Nathan e o Som do Gordinho, DJ Duda Bloco Viúvas da Torre Concentração: Esquina do Supermercado Santiago, Rua Manoel Deodato, 15h30 Atração: Banda Brasilis, Axé do Yuri, Maracastelo, Orquestra de Frevo AZDD Blocos Imprensados Concentração: Av. Cabo Branco, 18h Atração: Banda Tentáculos, Orquestra de frevo do Mestre Quimba
Sun, 16 Feb 2020 17:53:36 -0000
Balão cai sobre fios da rede elétrica no Parque Califórnia em Jacareí, SP

Na manhã deste domingo, moradores de São José dos Campos e Taubaté também relataram terem visto um balão sobrevoando as cidades. Balão cai sobre fios da rede elétrica no Parque Califórnia em Jacareí, SP Edgar Rocha/TV Vanguarda Um balão caiu na manhã deste domingo (16) sobre a fiação da rede elétrica no bairro Parque Califórnia em Jacareí (SP). O incidente foi por volta de 10h e não houve incêndio. Segundo testemunhas, apesar do balão ser grande e cair em um ponto de risco, não houve estragos. O Corpo de Bombeiros foi acionado para atender a ocorrência e fará a retirada do balão após o desligamento da energia elétrica no local. Na manhã deste domingo, moradores de São José dos Campos e Taubaté também relataram terem visto um balão sobrevoando as cidades. Crime ambiental De acordo com a Polícia Ambiental, fabricar, vender, transportar ou soltar balões que possam provocar incêndios é crime. A pena prevista, caso o autor do lançamento seja identificado, é a detenção de um a três anos, multa ou ambas cumulativamente. Balão cai sobre fios da rede elétrica no Parque Califórnia em Jacareí, SP Edgar Rocha/ TV Vanguarda
Sun, 16 Feb 2020 17:51:39 -0000
Jovem morre eletrocutado ao pisar em fios quando fugia de abordagem policial, no Piauí

Segundo a Polícia Militar, o rapaz era suspeito de ter participado de um assalto, em que uma motocicleta foi roubada. Ao avistar os policiais, ele teria fugido e pisado acidentalmente em fios eletrificados. Instituto Médico Legal Andrê Nascimento/ G1 PI Um homem identificado como Fernando de Sousa, de 25 anos, morreu neste domingo (16) após sofrer uma descarga elétrica quanto tentava pular um muro, na cidade de Jardim do Mulato, a 147 km de Teresina. Segundo a Polícia Militar, o acidente aconteceu quando ele tentava fugir dos policiais. De acordo com o comandante da Polícia Militar de Amarante, Giordano Gonçalves, o rapaz era suspeito de ter participado, junto com um homem identificado como “Tora Boia”, de um assalto em que uma motocicleta foi roubada. O crime teria acontecido na comunidade Brejinho, na zona rural de Jardim do Mulato, durante a manhã de domingo. Segundo o cabo Giordano, os policiais receberam a denúncia sobre o assalto ainda durante a manhã de domingo. Pelas descrições repassadas por testemunhas, a polícia identificou Fernando como um dos suspeitos, e foi até a sua residência. “Assim que soubemos da denúncia fomos até a casa de Fernando. Quando estávamos falando com sua mãe, ele nos viu e começou a fugir, pulando os muros das casas da região. Foi nesse momento que ele se enrolou em alguns fios que estavam soltos, e foi eletrocutado”, contou o policial. Fernando não resistiu à descarga elétrica e morreu no local. O rapaz respondia processos por roubo, e era conhecido na região como "Beirinha". O Instituto Médico Legal (IML) foi acionado para a remoção do corpo. Segundo a PM o outro suspeito pode estar com a motocicleta roubada e ainda não foi capturado. A PM continua fazendo buscas pela região para tentar localizá-lo.
Sun, 16 Feb 2020 17:51:17 -0000

This page was created in: 0.01 seconds

Copyright 2020 Oscar WiFi

This website or its third-party tools use cookies, which are necessary to its functioning and required to achieve the purposes illustrated in the cookie policy. By closing this banner, scrolling this page, clicking a link or continuing to browse otherwise, you agree to the use of cookies. If you want to know more or withdraw your consent to all or some of the cookies, please refer our Cookie Policy More info